• PERTO

    Vi uma voz tão magra e seca

    Um tom veloz, eternamente teu

     

    Ouvi as tuas mãos pousadas na mesa

    Um silêncio que solta “eu estou tão bem aqui”

     

    Já nem preciso estar tão perto assim para te ver

     

    Toquei no teu olhar sempre a espreitar o tormento

    Pesado e invulgar, tão cauteloso e ternurento

     

    Provei as tuas palavras indecisas noite fora

     

    Já nem preciso estar tão perto assim para te ver