• FOGO MANSO

    Torna a ser

    Como o descanso que desejo

    Quando volto

    Quando volto a casa

     

    Fogo manso

    Que me aquece como aquece o sol

    A entrar pela janela adentro

     

    Porque a solidão, paciente,

    Espera por nós

     

    Escondida no frio da nossa indiferença,

    Da falsa certeza

     

    E este abrigo só nos tem se lhe dermos respeito